19/09/2011

com os meus botões


(se fosse possível ter certezas em relação à acção dos outros na interacção das tarefas que nos propomos fazer, era mais simples saber se estavamos ou não no caminho certo. não sendo, começo a convencer-me (teoricamente, na prática ainda não o faço) que o melhor é em cada dia fazermos o que nos faz feliz, não programando demasiado o resultado).